Quando o remédio avisa a hora de tomar

06dez09

Imagine um frasco escandaloso que pisca e emite som para lembrar de tomar remédio. E que ainda envia mensagem de texto para paciente e médico. A novidade existe nos EUA e a versão mais simples, sem mensagens, custa US$ 99. Mais dicas para não esquecer os remédios e informações sobre o frasco amigo do paciente na matéria do G1.

O frasco desenvolvido pela empresa norte-americana Vitality não quer que os pacientes esqueçam de tomar seus remédios. Ou, se esquecerem, o produto pode dedurar para médicos e parentes. Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Saúde de New England, nos Estados Unidos, o fato de os pacientes não tomarem remédio custa US$ 290 bilhões por ano e dobra as taxas de mortalidade entre pacientes de diabetes e problemas coronários.
“Fico preocupada de misturar remédios”, conta a mãe de Júlia.

Esta mistura de anti-inflamatórios com antibióticos é perigosa para todo mundo.

“Provoca, principalmente em velhinhos, perda de audição”, afirma o toxicologista/ HC- SP Anthony Wong.

Quem toma anti-inflamatórios deve evitar também medicamentos que contém paracetamol. A combinação pode levar a falência dos rins. Um risco mais conhecido é o de associar anticoagulantes ao ácido acetilsalicílico, presente na aspirina, por exemplo. A hemorragia pode ser fatal.

“Isso não é tão infrequente quanto se imagina. Algumas pessoas tomam 10, 12 comprimidos de uma vez. São pessoas de maior idade e que nem têm ideia o que uma interação de medicamentos pode causar para a sua saúde”, alerta Anthony Wong.

É importante lembrar que não são apenas medicamentos controlados que podem causar sérios problemas de saúde quando associados de maneira indiscriminada. Remédios que são encontrados nas gôndolas, e podem ser comprados sem receita também só devem ser associados com orientação médica.

Para garantir a eficácia de qualquer medicamento, o ideal é tomá-lo em jejum. Evite ingerir comprimidos com leite porque o cálcio altera a absorção. Nem aqueles chás caseiros, que parecem inofensivos, estão liberados.

“Todo e qualquer remédio é potencialmente perigoso e danoso. A diferença entre remédio e veneno está na dose, ou no tipo de uso”, destaca Anthony Wong.

Um dente “cibernético” que aplica remédios automaticamente em pacientes crônicos poderá substituir pílulas e injeções para aqueles que têm problemas em lembrar de tomar os medicamentos. O equipamento oral controlado remotamente pode ser fixado na boca do paciente, como um dente ou um implante. O médico poderá adicionar por controle remoto informações sobre o horário e dose da administração do remédio, idade e peso do paciente e histórico médico.
Dicas para utilização de remédios
Os medicamentos são parte da rotina de praticamente toda pessoa que está na terceira idade. Estudos mostram que cerca de 70% dos idosos têm ao menos uma doença crônica que requer tratamento médico e terapêutico, ou seja, uso de fármacos. No Brasil, os idosos consomem, em média, de 2 a 3,4 medicamentos por dia. Tomar vários medicamentos com horários e doses diferentes nem sempre é fácil, principalmente para as pessoas que têm problemas de memória.

Além da dificuldade que o variado número de medicamentos pode trazer ao dia-a-dia do idoso, também muda a forma como os remédios agem no corpo. Uma das diferenças está no fato de que, ao envelhecer, o corpo perde água e tecidos (principalmente músculos) e ganha mais gordura, o que pode fazer com que determinado medicamento fique mais tempo no organismo.

Problemas nos rins e no fígado também acarretam dificuldade na eliminação de fármacos. Por isso, é preciso que o paciente converse com seu médico, atentando para todos esses fatores na hora de receber a receita de um remédio.

DICAS GERAIS

• Não compre medicamentos em feiras livres ou camelôs.

• Só recorra a remédios• Não compre vitaminas sem orientação médica.

• Exija a nota fiscal de todo remédio que você comprar.

• Não tome remédios receitados por amigos, familiares ou balconistas de farmácias e não dê ou indique medicamentos a outras pessoas.

• Não acredite nos remédios milagrosos (para reduzir peso, contra calvície e outros) anunciados na TV.

• Use o medicamento apenas durante o tempo recomendado e fique atento ao prazo de validade dos medicamentos.

• Não repita receitas. Lembre-se de que somente o médico pode avaliar se o tratamento deve continuar ou não.

EM CASA

Faça uma lista dos remédios, anotando o nome de cada medicamento, o médico que o receitou, a dose e o horário em que devem ser tomados, e coloque-a junto aos mesmos ou em local visível. Guarde, também, uma cópia em sua carteira.
Atualmente há no mercado caixinhas porta-medicação que contemplam os períodos do dia, como o quadro abaixo:

Período Medicação Finalidade

Café da Manhã
Almoço
Jantar
Ao Deitar
Leia e guarde as bulas dos remédios.

• Tome o medicamento na dose exata e no horário indicado pelo médico.

• Com freqüência, faça uma limpeza em seus armários e jogue fora os remédios vencidos. Nunca tome medicamentos fora da validade.

• Chame imediatamente seu médico, quando tiver algum problema com os medicamentos.

• Não interrompa o tratamento sem a autorização do médico nem reduza a dose sem sua orientação.

• Não misture álcool com remédios.

• Para lembrar dos horários de tomar o remédio, associe a ingestão do medicamento à sua rotina, como, por exemplo, escovar os dentes. Coloque lembretes no espelho do banheiro, calendários na cozinha e use caixas plásticas com divisões para separar os remédios por horário e dia da semana.

• Proteja os seus medicamentos da luz, da umidade e do calor. O banheiro, a cozinha e o carro não são locais adequados para guardá-los.

• Coloque na geladeira os remédios que devem ser guardados em temperaturas baixas (como, por exemplo, vacinas e insulina), evitando que sejam congelados.

• Evite tomar os medicamentos deitado. Tome-os com água e não com refrigerantes, café, chá ou bebidas quentes.

NO CONSULTÓRIO

• Informe sempre seu médico sobre os problemas que teve com medicamentos (irritações na pele, indigestão, falta de apetite, enjôo e tontura, por exemplo).

• Antes de começar o tratamento pergunte ao médico qual a maneira correta de tomar os medicamentos.

• Pergunte ao seu médico se é possível tomar o remédio junto com as refeições. Alguns medicamentos têm sua eficácia reduzida nessas condições.

• Sempre pergunte ao seu médico se há alternativas terapêuticas para o tratamento.
Fonte: www.qualivida.intermedica.com.br

About these ads


No Responses Yet to “Quando o remédio avisa a hora de tomar”

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: